José Miguel Wisnik e Arthur Nestrovski encerram a III Conferência Municipal de Cultura

Em show gratuito, os compositores e escritores se apresentam no encerramento III Conferência Municipal de Cultura de Fortaleza

Nem exatamente show, nem propriamente aula, mas uma mistura original das duas coisas: reunindo os talentos musicais, literários e acadêmicos do compositor, cantor e pianista (e professor da USP) Zé Miguel Wisnik – reconhecido como um dos nomes de ponta da música brasileira – e do compositor, violonista, crítico e escritor (e editor da PubliFolha) Arthur Nestrovski, o espetáculo traz uma seleção de canções, de Wisnik e outros autores (incluindo o próprio Nestrovski), entremeadas de conversas sobre vários assuntos. A aula-show, que acontece no anfiteatro do Centro Dragão do Mar, marca o encerramento da III Conferência Municipal de Cultura de Fortaleza, dia 29 de outubro, às 20h.

Da formação do cancioneiro brasileiro ao artesanato de letra e música; das potências transformadoras da bossa-nova e do tropicalismo ao debate sobre a “morte da canção”, Wisnik e Nestrovski cantam e contam a nossa música, situada por eles no contexto da cultura brasileira hoje. Professor de Literatura Brasileira na Universidade de São Paulo, como ensaísta Wisnik publicou O coro dos contrários – a música em torno da Semana de 22 (Duas Cidades, 1977), O nacional e o popular na cultura brasileira / Música (Brasiliense, 1982, 2@ edição 1983, em colaboração com Ênio Squeff), O som e o sentido (Companhia das Letras, 1989, 2@ edição 1999), Sem Receita – ensaios e canções (PubliFolha, 2004), José Miguel Wisnik – Livro de Partituras (Gryphus, 2004) e Veneno remédio – o futebol e o Brasil (Companhia das Letras, 2008). Participou também dos livros coletivos Os sentidos da paixão, O olhar, Ética, Poetas que pensaram o mundo (Companhia das Letras, 1987, 1988, 1992, 2005).

Como compositor, lançou os CDs autorais José Miguel Wisnik (Camerati, 1993), São Paulo Rio (Maianga, 2000 e Pérolas aos poucos (Maianga, 2003). Fez música para dança (Nazareth do grupo Corpo, em 1993, Parabelo, em parceria com Tom Zé, para o mesmo grupo Corpo, em 1997, e Onqotô, em parceria com Caetano Veloso, em 2005), cinema (Terra estrangeira de Walter Salles Jr. e Daniela Thomas, em 1995, Janela da alma, de João Jardim e Walter Carvalho, 2001) e teatro (As boas, Ham-let e Mistérios gozozos, para o Teatro Oficina, além de Pentesiléias, de Daniela Thomas, dirigida por Bete Coelho). Dirigiu o CD Do cóccix até o pescoço, de Elza Soares (2002). Além de Elza Soares, Ná Ozzetti, Jussara Silveira e Monica Salmaso, tem músicas interpretadas por Maria Bethania, Zizi Possi, Zélia Duncan, Djavan e Caetano Veloso. Gal Costa gravou “Embebedado”, uma parceria de José Miguel Wisnik com Chico Buarque, no seu CD Hoje (2005).

O gaúcho Arthur Nestrovski formou-se em música pela Universidade de York (Inglaterra) e fez doutorado em literatura e música na Universidade de Iowa (EUA). Articulista da Folha de S.Paulo, onde escreve sobre literatura e música desde 1992, é autor de Debussy e Poe (1986, Prêmio Jabuti), Ironias da Modernidade (1996), Notas Musicais (2000), Três Canções de Tom Jobim (com Lorenzo Mammì e Luiz Tatit, 2004) e Outras Notas Musicais (2009); e organizou as antologias Figuras do Brasil (2001), Música Popular Brasileira Hoje (2002), Em Branco e Preto – Artes Brasileiras na Folha,1990-2003 (2004), Aquela Canção – 12 Contos Para 12 Músicas (2005, Prêmio UBE) e Lendo Música – 10 Ensaios Sobre 10 Canções (2007), entre outros livros.

Em 2005, deixou a carreira acadêmica e voltou à atividade musical como violonista e compositor, apresentando-se e gravando com artistas como Zé Miguel Wisnik, Zélia Duncan e Tom Zé, entre outros, no Brasil e no exterior. De lá para cá, lançou os CDs Jobim Violão (2007; reedição 2009) e Tudo o Que Gira Parece a Felicidade ¬(2007), além de 2 DVDs e trilhas para espetáculos de dança (Ivaldo Bertazzo e Cidadança); fez também a direção musical do programa Vila Sésamo, da TV Cultura. Suas composições e letras têm sido interpretadas e gravadas por artistas como Maria João Pires, Jussara Silveira, Ná Ozzetti, André Mehmari, Ricardo Castro, Suzana Salles, Celso Sim, Izabel Padovani e Teatro Oficina, entre outros.

Serviço
III Conferência Municipal de Cultura de Fortaleza – Encerramento com aula-show de José Miguel Wisnik e Arthur Nestrovski, dia 29 de outubro, às 20h, no anfiteatro do Centro Dragão do Mar (rua Dragão do Mar, 81 – Praia de Iracema).

III Conferência Municipal de Cultura: Grupos de trabalho já traçam diretrizes para serem levadas à Plenária Final

Os sete grupos de trabalho da III Conferência Municipal de Cultura já estão elaborando propostas para definir as diretrizes que serão votadas para elaboração do Plano Municipal de Cultura, durante a Plenária Final do evento. Mais de 300 pessoas compareceram ao Seminário da Prainha, lugar onde os Gts estão reunidos.

 

Uma novidade ocorrida ontem, durante a leitura do Regimento Interno da III CMC para aprovação em plenária, foi a criação do grupo CRIANÇA E ADOLESCENTE, que reúne 30 crianças e adolescentes em torno de todos os temas debatidos na III CMC. Sob a coordenação da Secretaria de Direitos Humanos (SDH), através da Coordenadoria da Criança e do Adolescente, o grupo está contextualizando os seis sub-eixos da Conferência, para depois se deter sobre um deles.

 

Etapa integrante da II Conferência Nacional de Cultura, a III CMC ainda vai aprovar o Plano de Ação para as Cidades Históricas (PAC das cidades históricas) e eleger delegados para a etapa estadual da II Conferência Nacional.

 

Com o tema geral “Cultura, Diversidade, Cidadania e Desenvolvimento”, a III CMC é um espaço de consulta pública sobre as diretrizes que devem orientar a elaboração das políticas culturais para o município. Instância integrante do Sistema Municipal de Cultura, prevê ampla e irrestrita participação da sociedade civil, dos poderes legislativos e dos governos municipal, estadual e federal.

 

GRUPO 1 – PRODUÇÃO SIMBÓLICA E DIVERSIDADE

Foco: Produção de arte e de bens simbólicos, promoção de diálogos interculturais, formação no campo da cultura e democratização da informação.

 

O grupo tem discutido a capacidade de criar e a importância de buscar o reencontro da cultura e da educação, sem com isso voltar à situação administrativa que um dia existiu.

 

GRUPO 2 – CULTURA, CIDADE E CIDADANIA

Foco: Cidade como espaço de produção, intervenção e trocas culturais, garantia de direitos e acesso a bens culturais.

O grupo tem discutido como a cidade e o elemento que faz o espaço urbano dialogam.

 

GRUPO 3 – CULTURA E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Foco: A importância estratégica da cultura no processo de desenvolvimento.

O grupo está discutindo o modo de vida consumista e a exploração dos bens naturais. A importância do agir com rigor na proteção e preservação do patrimônio cultural para o desenvolvimento sustentável.

 

GRUPO 4 – CULTURA E ECONOMIA CRIATIVA

Foco: Economia criativa como estratégia de desenvolvimento.

O grupo já está traçando diretrizes para serem discutidas em plenária. Sugestões como: estĩmulo à ampliação de programas com dotação orçamentária específica e aumento de recursos públicos; mapeamento da cadeia produtiva da cultural como forma de ampliar a transparência; construção de um canal institucional no âmbito municipal para discutir e aprimorar a legislação que trata das políticas culturais.

 

GRUPO 5 – GESTÃO E INSTITUCIONALIDADE DA CULTURA

Foco: Fortalecimento da ação do Estado e da participação social no campo da cultura.

O grupo relatou a criação de vários equipamentos culturais na cidade, avaliando que o cenário é favorável para a cultura, mas que ainda há muito o que fazer para o fortalecimento da área.

 

GRUPO 6 – COMUNICAÇÃO, CULTURA E POLÍTICA

Foco: Cultura digital, legislação, propriedade intelectual, possibilidades de produção, circulação, recepção e consumo dos diversos conteúdos artísticos,  experiências virtuais de mídia livre e colaborativa em interface com a cultura.

O grupo está discutindo produção, circulação e consumo de conteúdos culturais, cultura digital e direitos autorais, meios de expressão e acesso, licenças e conhecimentos livres.

 

GRUPO 7 – CRIANÇA E ADOLESCENTE

ACIMA

 

Fortaleza recebe a III Conferência Municipal de Cultura

confe

Lançamento contou com mais de 450 pessoas

A cultura faz história. Mais de 450 pessoas, entre artistas, produtores culturais e representantes do poder público, de universidades e da sociedade civil organizada, compareceram ao Teatro São José, equipamento cultural guardado na memória afetiva dos fortalezenses, na noite de ontem (27) para a abertura da III Conferência Municipal de Cultura de Fortaleza.

Saudando a plateia, a Secretária de Cultura de Fortaleza, Fátima Mesquita, abriu o evento, dizendo que a Conferência era convocada e reconhecida pela Prefeitura Municipal de Fortaleza, através da Secultfor, mas que não fazia sentido sem a participação popular. “Estou muito feliz por contar com vocês”, celebrou. Ela adiantou que aquele momento serviria para a leitura do regimento interno da III Conferência de Cultura para aprovação em plenária, no qual todos, desde já, poderiam ajudar a construir a própria Conferência.

Com o tema geral “Cultura, Diversidade, Cidadania e Desenvolvimento”, a III CMC é um espaço de consulta pública sobre as diretrizes que devem orientar a elaboração das políticas culturais para o município. Instância integrante do Sistema Municipal de Cultura, prevê ampla e irrestrita participação da sociedade civil, dos poderes legislativos e dos governos municipal, estadual e federal. “A Conferência representa a consolidação de um debate em torno das políticas culturais que vem sendo construído ao longo da Gestão Luizianne Lins. É um marco estratégico”, avaliou o vereador Guilherme Sampaio.

“Existem duas questões fundamentais a serem debatidas e construídas coletivamente: o Sistema Municipal de Fomento à Cultura, que trata de fundos, incentivos e financiamentos para a área; e o Plano Municipal de Cultura, documento que vai nortear as ações culturais para os próximos dez anos, se afirmando como uma política de Estado”, antecipou Márcio Caetano, secretário executivo de Cultura de Fortaleza.

A proposta de Lei que cria o Sistema Municipal de Fomento quer ver cumprida a meta de investimento sugerida em âmbito federal em relação ao bolo orçamentário dos três poderes – 2% para União, 1,5% para os Estados e 1% para os Municípios.
Etapa integrante da II Conferência Nacional de Cultura, a III CMC ainda vai aprovar o Plano de Ação para as Cidades Históricas (PAC das cidades históricas) e eleger delegados para a etapa estadual da II Conferência Nacional.

O Secretário de Cultura do Ceará, Auto Filho, aproveitou o palco da III CMC para fazer um apelo político: “Nós estamos numa corrida desesperada para, até 2010, criar o Sistema Nacional de Cultura, o Fundo Nacional de Cultura e o Plano Nacional de Cultura, com vistas a manter tudo que foi construído no Governo Lula. Se não assumirmos a militância a partir de agora, poderemos ver um grande retrocesso, porque nada ainda está institucionalizado”.

O artista plástico e professor do Instituto Federal de Educação Tecnológica do Ceará (IFET-CE), Herbert Rolim, que sonha em ver o corredor cultural o Benfica integrado e pretende usar a III CMC como espaço para discussão dessa proposta, acredita que a Conferência vai criar mecanismos de sustentabilidade da cultura, garantindo conquistas, avanços e continuidade. “Entendo a cultura como um direito social e, para prevalecer esse direito, a gente tem que se organizar”, defendeu.

O fotógrafo Tiago Santana acredita que esse tipo de evento é fundamental para demarcar a cultura como uma política pública necessária. “Por mais que existam intenções, sem a participação da rede dos produtores culturais e artistas, nada tem efeito. Só num espaço como esse efetivaremos uma política pública séria, consequente e contínua”.
A III Conferência Municipal de Cultura continua durante todo o dia de hoje no Seminário da Prainha, local dos Grupos de Trabalho (GTs) orientados a partir de eixos e sub-eixos temáticos. Na manhã do dia 29, será realizada a Plenária Final, com apresentação das diretrizes elaboradas nos GTs para o debate e aprovação do documento final, além da eleição dos delegados e delegadas municipais para a Conferência Estadual de Cultura.

A III CMC será encerrada com uma aula-show de José Miguel Wisnik, compositor, cantor e pianista (e professor da USP), e Arthur Nestrovski, compositor, violonista, crítico e escritor (e editor da PubliFolha). A aula-show acontece no anfiteatro do Centro Dragão do Mar, dia 29 de outubro, às 20h.

SERVIÇO
III Conferência Municipal de Cultura de Fortaleza – Dias 28 e 29 de outubro, no Seminário da Prainha (cruzamento das avenidas Dom Manoel e Mons. Tabosa). Show de encerramento com José Miguel Wisnik e Arthur Nestrovski, no Anfiteatro do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (rua Dragão do Mar, 81 – Praia de Iracema).

III Conferência Municipal de Cultura acontece entre os dias 27 e 29/10

III Conferência Municipal de Cultura de Fortaleza debate cidadania e desenvolvimento A III CMC trabalha com o conceito de Cultura como direito fundamental de todo e qualquer cidadão A III Conferência Municipal de Cultura de Fortaleza é um espaço de consulta pública sobre as diretrizes que devem orientar a elaboração das políticas culturais para o município. Instância integrante do Sistema Municipal de Cultura, convocada e reconhecida pelo poder público municipal, prevê ampla e irrestrita participação da sociedade civil, dos poderes legislativos e dos governos municipal, estadual e federal, em torno de um tema geral: “Cultura, Diversidade, Cidadania e Desenvolvimento”. Ampliado, o conceito de cultura que norteia as discussões vai, portanto, muito além das manifestações artísticas propriamente ditas, incorporando em si as várias formas de sociabilidade e invenção de um povo e a idéia de Cultura como direito fundamental de todo e qualquer cidadão. De 27 a 29 de outubro, desdobrando-se entre o Teatro São José e o Seminário da Prainha, local dos Grupos de Trabalho (GTs), a III CMC de Fortaleza propõe debates orientados a partir de eixos e sub-eixos temáticos, complementares ao tema geral proposto. As inscrições para participar do evento são gratuitas e abertas à população. As fichas podem ser acessadas nos sites: http://www.fortaleza.ce.gov.br/cmc e http://www.fortaleza.ce.gov.br/cultura Também é uma primeira instância de construção coletiva do Plano Municipal de Cultura e do Plano de Ação para as cidades históricas – o PAC das cidades históricas. “O Plano Municipal de Cultura é um documento apresentado para o debate público, onde devem ser acrescidas as propostas elaboradas na Conferência. O objetivo é elaborar um Plano para os próximos dez anos, que se afirme como uma política de Estado, que atravesse governos e esteja amparado por uma Lei Municipal, que estabeleça metas, programas, ações, responsabilidades, sistemas de monitoramento e avaliação das políticas públicas para a Cultura”, esclarece o secretário executivo de Cultura de Fortaleza, Márcio Caetano. A proposta de Lei que cria o Sistema Municipal de Fomento à Cultura é outra pauta de interesse do segmento, que quer ver cumprida a meta de investimento sugerida em âmbito federal em relação ao bolo orçamentário dos três poderes – 2% para União, 1,5% para os Estados e 1% para os Municípios. “Estabelecer um conjunto de instrumentos e modalidades de financiamento para a cultura, como o Fundo Municipal e as Leis de Incentivo, o cadastro cultural e o sistema de indicadores, significa aprimorar o financiamento público da cultura em Fortaleza e deve implicar também em um aumento real de recursos disponíveis”, adianta o secretário. O prognóstico é resultado de um processo iniciado nas duas edições anteriores da conferência. “A I Conferência apontou, entre as suas diretrizes mais votadas, a necessidade de implantar um Sistema Municipal de Cultura, articulado com o Governo Federal e sua proposta de implantação do Sistema Nacional de Cultura. As principais mudanças, e avanços se deram no âmbito institucional e político, como a reformulação da Lei Orgânica do município, que já estabelece a criação Sistema Municipal de Cultura; a criação da SECULTFOR , a primeira da história da cidade; a reativação do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico e Cultural (COMPHIC) e a criação do Conselho Municipal de Política Cultural, recém aprovado pela Câmara Municipal, com poderes deliberativo, consultivo e fiscalizador no que se refere às definições das diretrizes que orientam a política cultural implementada pelo município”, conclui. Para a noite de encerramento da III CMC, Fortaleza é convidada a experimentar uma mistura original de show e aula. Reunidos, o compositor, cantor e pianista (e professor da USP) José Miguel Wisnik – reconhecido como um dos nomes de ponta da música brasileira – e o compositor, violonista, crítico e escritor (e editor da PubliFolha) Arthur Nestrovski passeiam por uma seleção de canções de Wisnik e outros autores (incluindo o próprio Nestrovski), entremeadas de conversas sobre assuntos afins. A aula-show acontece no anfiteatro do Centro Dragão do Mar, dia 29 de outubro, às 20h. PROGRAMAÇÃO DIA 27 – Teatro São José (rua Rufino de Alencar, 362 – Centro – Praça do Cristo Redentor). 18h30min – Credenciamento 19h – Instalação da Plenária da Conferência/ leitura e aprovação do Regimento Geral 19h30min – Debate de abertura – SECULTFOR / SECULT / MINC DIA 28 – Seminário da Prainha (cruzamento das avenidas Dom Manoel e Monsenhor Tabosa). 8h30min às 12h – Grupos de Trabalho por eixos temáticos para o debate e formulação das diretrizes gerais da Conferência 12h às 14h – Almoço 14h às 17h – Grupos de Trabalho por eixos temáticos para o debate e formulação das diretrizes gerais da Conferência DIA 29 – Teatro São José (rua Rufino de Alencar, 362 – Centro – Praça do Cristo Redentor). 8h30min às 13h – Plenária Final – apresentação das diretrizes elaboradas nos GT´s para o debate e votação do documento final e eleição dos/as delegados/as municipais para a Conferência Estadual. 20h – Show de encerramento da III Conferência Municipal de Cultura com José Miguel Wisnik e Arthur Nestrovski, no Anfiteatro do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (rua Dragão do Mar, 81 – Praia de Iracema). Relação dos eixos temáticos: EIXO I – CULTURA, COMUNICAÇÃO E POLÍTICA Foco: cultura digital, legislação, propriedade intelectual, possibilidades de produção, circulação, recepção e consumo dos diversos conteúdos artísticos, experiências virtuais de mídia livre e colaborativa em interface com a cultura. EIXO II – PRODUÇÃO SIMBÓLICA E DIVERSIDADE CULTURAL Foco: produção de arte e de bens simbólicos, promoção de diálogos interculturais, formação no campo da cultura e democratização da informação. EIXO III – CULTURA, CIDADE E CIDADANIA Foco: cidade como espaço de produção, intervenção e trocas culturais, garantia de direitos e acesso a bens culturais. EIXO VI – CULTURA E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Foco: a importância estratégica da cultura no processo de desenvolvimento. EIXO V – CULTURA E ECONOMIA CRIATIVA Foco: economia criativa como estratégia de desenvolvimento EIXO VI – GESTÃO E INSTITUCIONALIDADE DA CULTURA Foco: fortalecimento da ação do Estado e da participação social no campo da cultura. SERVIÇO III Conferência Municipal de Cultura de Fortaleza – Dias 27, 28 e 29 de outubro, no Teatro São José (rua Rufino de Alencar, 362 – Centro – Praça do Cristo Redentor) e Seminário da Prainha (cruzamento das avenidas Dom Manoel e Mons. Tabosa). Show de encerramento com José Miguel Wisnik e Arthur Nestrovski, no Anfiteatro do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (rua Dragão do Mar, 81 – Praia de Iracema). — Isabelle Câmara e Bárbara Holanda (8899.8705) Assessoria de Imprensa da Secretaria de Cultura de Fortaleza – Secultfor (3105.1386) Prefeitura Municipal de Fortaleza http://www.fortaleza.ce.gov.br/cultura

III CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE CULTURA

A III Conferência Municipal de Cultura de Fortaleza, acontece de 27 a 29 de outubro no Teatro São José (rua Rufino de Alencar, 362 – Centro – Praça do Cristo Redentor) e no Seminário da Prainha (cruzamento das avenidas Dom Manoel e Monsenhor Tabosa). Com o tema “Cultura, Diversidade, Cidadania e Desenvolvimento” a Conferência abre espaço para a consulta pública sobre as diretrizes que vão orientar a elaboração das políticas culturais para o município nos próximos anos. Para tanto é importante a participação da sociedade civil, dos poderes legislativos e dos governos municipal, estadual e federal. Os grupos de trabalhos estarão divididos em eixos temáticos (cultura, comunicação e política, produção simbólica e diversidade cultural, cultura, cidade e cidadania, cultura e desenvolvimento sustentável, cultura e economia criativa, gestão e institucionalidade da cultura)para o debate e formulação das diretrizes gerais da Conferência

Confira a programação, escolha o seu eixo tematico e participe:

DIA 27 – Teatro São José
18h30min – Credenciamento
19h – Instalação da Plenária da Conferência/ leitura e aprovação do Regimento Geral
19h30min – Debate de abertura – SECULTFOR / SECULT / MINC
DIA 28 – Seminário da Prainha
8h30min às 12h – Grupos de Trabalho por eixos temáticos para o debate e formulação das diretrizes gerais da Conferência
12h às 14h – Almoço
14h às 17h – Grupos de Trabalho por eixos temáticos para o debate e formulação das diretrizes gerais da Conferência
DIA 29 – Teatro São José
8h30min às 13h – Plenária Final – apresentação das diretrizes elaboradas nos GT´s para o debate e votação do documento final e eleição dos/as delegados/as municipais para a Conferência Estadual.
20h – Show de encerramento da III Conferência Municipal de Cultura com José Miguel Wisnik e Arthur Nestrovski, no Anfiteatro do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (rua Dragão do Mar, 81 – Praia de Iracema).

Cultura é o seu lugar

conferencia

A III Conferência Municipal de Cultura de Fortaleza é um espaço de consulta pública sobre as diretrizes que devem orientar a elaboração das políticas culturais para o município.

Instância integrante do Sistema Municipal de Cultura, convocada e reconhecida pelo poder público municipal, prevê ampla e irrestrita participação da sociedade civil, dos poderes legislativos e dos governos municipal, estadual e federal, em torno de um tema geral: “Cultura, Diversidade, Cidadania e Desenvolvimento”. Ampliado, o conceito de cultura que norteia as discussões vai, portanto, muito além das manifestações artísticas propriamente ditas, incorporando em si as várias formas de sociabilidade e invenção de um povo e a idéia de Cultura como direito fundamental de todo e qualquer cidadão.

De 27 a 29 de outubro, desdobrando-se entre o Teatro São José e o Seminário da Prainha, local dos Grupos de Trabalho (GTs), a III CMC de Fortaleza propõe debates orientados a partir de eixos e sub-eixos temáticos, complementares ao tema geral proposto. Também é uma primeira instância de construção coletiva do Plano Municipal de Cultura e do Plano de Ação para as cidades históricas – o PAC das cidades históricas. “O Plano Municipal de Cultura é um documento apresentado para o debate público, onde devem ser acrescidas as propostas elaboradas na Conferência. O objetivo é elaborar um Plano para os próximos dez anos, que se afirme como uma política de Estado, que atravesse governos e esteja amparado por uma Lei Municipal, que estabeleça metas, programas, ações, responsabilidades, sistemas de monitoramento e avaliação das políticas públicas para a Cultura”, esclarece o secretário executivo de Cultura de Fortaleza, Márcio Caetano.

A proposta de Lei que cria o Sistema Municipal de Fomento à Cultura é outra pauta de interesse do segmento, que quer ver cumprida a meta de investimento sugerida em âmbito federal em relação ao bolo orçamentário dos três poderes – 2% para União, 1,5% para os Estados e 1% para os Municípios. “Estabelecer um conjunto de instrumentos e modalidades de financiamento para a cultura, como o Fundo Municipal e as Leis de Incentivo, o cadastro cultural e o sistema de indicadores, significa aprimorar o financiamento público da cultura em Fortaleza e deve implicar também em um aumento real de recursos disponíveis”, adianta o secretário.

O prognóstico é resultado de um processo iniciado nas duas edições anteriores da conferência. “A I Conferência apontou, entre as suas diretrizes mais votadas, a necessidade de implantar um Sistema Municipal de Cultura, articulado com o Governo Federal e sua proposta de implantação do Sistema Nacional de Cultura. As principais mudanças, e avanços se deram no âmbito institucional e político, como a reformulação da Lei Orgânica do município, que já estabelece a criação Sistema Municipal de Cultura; a criação da SECULTFOR , a primeira da história da cidade; a reativação do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico e Cultural (COMPHIC) e a criação do Conselho Municipal de Política Cultural, recém aprovado pela Câmara Municipal, com poderes deliberativo, consultivo e fiscalizador no que se refere às definições das diretrizes que orientam a política cultural implementada pelo município”, conclui.

Para a noite de encerramento da III CMC, Fortaleza é convidada a experimentar uma mistura original de show e aula. Reunidos, o compositor, cantor e pianista (e professor da USP) José Miguel Wisnik – reconhecido como um dos nomes de ponta da música brasileira – e o compositor, violonista, crítico e escritor (e editor da PubliFolha) Arthur Nestrovski passeiam por uma seleção de canções de Wisnik e outros autores (incluindo o próprio Nestrovski), entremeadas de conversas sobre assuntos afins. A aula-show acontece no anfiteatro do Centro Dragão do Mar, dia 29 de outubro, às 20h.

SERVIÇO: III Conferência Municipal de Cultura de Fortaleza – Dias 27, 28 e 29 de outubro, no Teatro São José (rua Rufino de Alencar, 362 – Centro – Praça do Cristo Redentor) e Seminário da Prainha (cruzamento das avenidas Dom Manoel e Mons. Tabosa). Show de encerramento com José Miguel Wisnik e Arthur Nestrovski, no Anfiteatro do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (rua Dragão do Mar, 81 – Praia de Iracema). Mais informações: Assessoria de Imprensa SECULTFOR, com Isabelle Câmara (8899.8705) e Ethel de Paula (8899.8703).

PROGRAMAÇÃO

DIA 27 – Teatro São José (rua Rufino de Alencar, 362 – Centro – Praça do Cristo Redentor).

18h30min – Credenciamento

19h – Instalação da Plenária da Conferência/ leitura e aprovação do Regimento Geral

19h30min – Debate de abertura – SECULTFOR / SECULT / MINC

DIA 28 – Seminário da Prainha (cruzamento das avenidas Dom Manoel e Mons. Tabosa).

8h30min às 12h – Grupos de Trabalho por eixos temáticos para o debate e formulação das diretrizes gerais da Conferência

12h às 14h – Almoço

14h às 17h – Grupos de Trabalho por eixos temáticos para o debate e formulação das diretrizes gerais da Conferência

DIA 29 – Teatro São José (rua Rufino de Alencar, 362 – Centro – Praça do Cristo Redentor).

8h30min às 13h – Plenária Final – apresentação das diretrizes elaboradas nos GT´s para o debate e votação do documento final e eleição dos/as delegados/as municipais para a Conferência Estadual.

20h – Show de encerramento da III Conferência Municipal de Cultura com José Miguel Wisnik e Arthur Nestrovski, no Anfiteatro do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (rua Dragão do Mar, 81 – Praia de Iracema).

Relação dos eixos temáticos:

EIXO I – CULTURA, COMUNICAÇÃO E POLÍTICA

Foco: cultura digital, legislação, propriedade intelectual, possibilidades de produção, circulação, recepção e consumo dos diversos conteúdos artísticos, experiências virtuais de mídia livre e colaborativa em interface com a cultura.

EIXO II – PRODUÇÃO SIMBÓLICA E DIVERSIDADE CULTURAL

Foco: produção de arte e de bens simbólicos, promoção de diálogos interculturais, formação no campo da cultura e democratização da informação.

EIXO III – CULTURA, CIDADE E CIDADANIA

Foco: cidade como espaço de produção, intervenção e trocas culturais, garantia de direitos e acesso a bens culturais.

EIXO VI – CULTURA E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Foco: a importância estratégica da cultura no processo de desenvolvimento.

EIXO V – CULTURA E ECONOMIA CRIATIVA

Foco: economia criativa como estratégia de desenvolvimento

EIXO VI – GESTÃO E INSTITUCIONALIDADE DA CULTURA

Foco: fortalecimento da ação do Estado e da participação social no campo da cultura.

Plano de Ação das Cidades Históricas para Fortaleza será submetido à consulta pública

III Conferência Municipal de Cultura debate PAC das Cidades Históricas

A Prefeitura Municipal de Fortaleza, através da Secretaria de Cultura de Fortaleza (Secultfor), convoca o poder público e a sociedade civil para mais um debate preparatório da III Conferência Municipal de Cultura, quando o Plano de Ação das Cidades Históricas para Fortaleza (PAC das cidades históricas) será submetido à consulta pública. A oficina de trabalho acontece nesta quarta-feira, dia 7 de outubro, no Clube dos Diretores Lojistas (CDL), situado à rua 25 de março, 882 – Centro, de 9h ao meio-dia.

O Plano de Ação das Cidades Históricas para Fortaleza (PAC das cidades históricas) é um instrumento de planejamento integrado para a gestão do patrimônio cultural com enfoque territorial. O documento visa elaborar uma política nacional para o patrimônio cultural, partindo do princípio que o patrimônio cultural é elemento estratégico para o desenvolvimento social. Também vem nortear investimentos na área.  Fortaleza irá elencar as prioridades do município para captar recursos municipais, estaduais e federais nos próximos quatro anos, com o objetivo de recuperar e requalificar os patrimônios históricos e culturais da Cidade.

Demanda do Sistema Nacional de Patrimônio Cultural, o PAC das Cidades Históricas é realizado pelo Governo Federal, através do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico (Iphan) e do Ministério da Cultura (MinC). Assinado o Protocolo de Cooperação com o Governo Federal, a Prefeitura Municipal de Fortaleza tem até o dia 2 de novembro de 2009 como prazo para apresentar a sua proposta de plano, daí a importância da participação popular.